1. Você está em: Inicial
  2. Artigos
Empreendedorismo
Será que não é a hora certa de formalizar seu negócio?
Apesar da formalização ser um temor para muitas pessoas, ela abre caminhos para garantir a estruturação da sua empresa

A história parece sempre a mesma: você começou a fazer doces para complementar a renda, e o que era um complemento virou sua principal renda. E é aí que surge o dilema: será que não está na hora de profissionalizar este negócio?

Saiba que esta dúvida faz parte da realidade de muitos pequenos empreendedores. Apesar da formalização ser um temor para muitas pessoas, ela abre caminhos para garantir a estruturação da sua empresa e que ela cresça no futuro.

Além disso, a formalização não é só uma maneira de você emitir notas fiscais quando necessário. Formalizar seu sonho doce também facilita o acesso a linhas de crédito, empréstimos, contratação de funcionários e a garantia de direitos trabalhistas. Tudo isso abre caminhos para você crescer no seu negócio. Para ajudar você a entender se já está na hora de formalizar, confira as dicas abaixo.

• Comprometa-se

Um dos sinais mais importantes de que você precisa formalizar o seu negócio é o seu nível de comprometimento com ele. Essa é a hora de refletir: você está preparado para cumprir as regras e deveres que a formalização exige?

A formalização tem regras claras de tributação, custos e regulamentação. Para formalizar, você precisa estar preparado para lidar com tudo isso.

Acima de tudo, é preciso entender que estas regras trazem muitos benefícios, asseguram seus direitos de empreendedor e fortalecem o seu investimento.

• A hora certa

O produto pode ser o mesmo, mas a hora de formalizar nem sempre é a mesma para todo o mundo. Por isso, antes de decidir, estude o seu mercado e o produto que produz e, se possível, faça um planejamento financeiro, sabendo quanto você tem para investir em insumos, tempo de retorno do investimento, área que será atendida, estratégia de divulgação, entre outras coisas. É muito importante definir o modelo do seu negócio.

Se você tem dúvidas sobre a hora de começar, pode avaliar o seu modelo de negócio a partir de testes com amigos, familiares, colegas de trabalho. Receba com atenção e respeito todos os feedbacks, pois eles serão essenciais para fortalecer o seu produto. Afinal, mais do que ter um CNPJ, você precisa se dedicar para o seu negócio ir em frente.

• Informe-se

Uma outra dica é consultar outros empreendedores mais experientes da sua área e que se identificam com a sua história. Isso ajuda a fortalecer suas convicções, diminuir a insegurança e gera muito aprendizado e inspiração.

Também é muito importante saber com quem você poderá contar nesta jornada, quem é sua rede de contatos e relacionamentos que podem apoiar você.

• Escolha o modelo ideal

Existe sempre uma formalização que tem mais a ver com o seu negócio.

O MEI (Micro Empreendedor Individual) é uma boa alternativa para quem está começando, por ter baixo custo. Mas avalie se este é o modelo mais adequado para a sua expectativa de faturamento e número de funcionários.

Caso sua empresa cresça demais e passe a faturar mais do que o teto permitido do MEI, você pode migrar para Microempreendedor.

Todos os anos é possível fazer a migração até 30 ou 31 de janeiro, alterando a sua forma de recolher impostos para o Simples Nacional. Nesse caso será preciso contratar então um contador. Uma microempresa pode ter até 19 funcionários.

Para saber mais sobre isso, você pode contar com o apoio do Sebrae da sua cidade. Ele presta serviços gratuitos para quem está começando um negócio.

E aí, sentiu que esta é a hora de formalizar o seu negócio? Então, o que você está esperando? Desejamos sucesso e conte com a gente para ajudá-lo a criar receitas incríveis!